Orçamento alterado por causa de amianto e Varzim Lazer

A Câmara da Póvoa de Varzim aprovou a 1.ª Alteração Modificativa às Grandes Opções do Plano e Orçamento para o exercício do ano 2020. Uma alteração que tem em conta a integração do saldo de gerência, o Contrato-Programa a celebrar com a Varzim Lazer e a substituição das coberturas de fibrocimento em todas as escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico em que ainda o falta fazer.

Neste último caso, o montante de 200 mil euros, proveniente de fundos comunitários, vai permitir que no início de Agosto sejam lançados os procedimentos para retirada das placas com amianto nas escolas primárias poveiras, ficando apenas a faltar as duas escolas da responsabilidade do Ministério da Educação: Cego do Maio e parte da Escola de Rates. As escolas a intervencionar são: Giesteira, Agro Velho – Aver-o-Mar, Granja – Rates, Navais, Paço – Terroso, Sininhos e JI Pedreira – Argivai. Esta informação agradou bastante ao vereador socialista Miguel Fernandes.

No caso da empresa municipal, o acordo a celebrar foi idealizado para fazer face à situação pandémica atual, salvaguardando os postos de trabalho, segundo a autarquia. O valor máximo previsto é de 650 mil euros, até ao final do ano, prevendo-se a possibilidade de, caso as atividades e serviços à população e associações serem retomados, não ser utilizada toda a verba. 

Jornalista Onda Viva

Anterior

Há mais pessoas a saber fazer camisolas poveiras

Próximo

Ministro vai inaugurar nova unidade produtiva da Energie

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *