Lembrada na Póvoa de Varzim tragédia da guerra

Hoje, 11 de novembro, na Póvoa de Varzim assinalou-se a passagem dos 101 anos do Armistício da 1.ª Grande Guerra. O coronel Aquilino Torrado , comandante da Escola de Serviços, unidade do Exército aquartelada em Beiriz, presidiu às cerimónias militares junto ao Monumento aos Combatentes, na Praça Marquês do Pombal. Militares, o presidente da Câmara, Aires Pereira, e elementos da delegação local da Liga dos Combatentes, depuseram coroas de flores em homenagem aos que caíram ao serviço da pátria. Do tributo matinal fez parte a intervenção do capelão do quartel, Guilherme Peixoto que como se sabe é sacerdote em Amorim e Laundos e fez uma invocação especial. O presidente da delegação da Liga dos Combatentes, Fernando Zeferino, mencionou a importância e o significado do dia que marcou o fim de uma enorme tragédia que foi a primeira guerra mundial. Neste dia é lembrada também a intervenção dos portugueses em mais locais de conflito, com especial incidência para a chamada Guerra do Ultramar que esteve nas entrelinhas da mensagem enviada para a cerimónia pelo presidente nacional da Liga dos Combatentes, general Joaquim Chito Rodrigues e que foi lida por Fernando Zeferino. O Armistício assinado em França, entre os Aliados e o Império Alemão, marcou o 11 de novembro de 1918, o dia do final da 1.ª Guerra Mundial, data que desde então é comemorada também na Póvoa de Varzim.

Jornalista Onda Viva

Anterior

Capa da Edição nº120 de 07 de Novembro de 2019

Próximo

Capela Marta vai ter homenagem no Dia da Cidade

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *