João Trocado vai lutar pela desagregação das freguesias

O processo político que poderá desencadear a desagregação de algumas uniões de freguesias continua a merecer a atenção de João Trocado. O presidente da Comissão Política concelhia do Partido Socialista da Póvoa de Varzim entende que no concelho “nenhuma freguesia beneficiou com a agregação” e que o fim das uniões “é uma questão de justiça” para devolver a identidade cultural e histórica de cada comunidade. O socialista dá o exemplo dos habitantes de Terroso e de Amorim, que defende não se sentirem representados na junta sediada em Aver-o-Mar. João Trocado afirma que a despesa pública com as agregações até aumentou e que ainda há muito tempo para reverter a situação a tempos das autárquicas de 2021, argumentando que “deve ser dada voz à vontade das populações”, através das Assembleias de Freguesia e Municipal. O líder do PS Póvoa reconhece que “o tema não é consensual” mas sublinha que esta é uma luta que vai continuar a travar a nível distrital quando for possível avançar para a discussão. João Trocado manifesta alguma esperança num desenlace positivo, apesar do presidente da República aparentemente não estar muito inclinado nesse sentido. As declarações de João Trocado foram proferidas na última edição do programa Grande Entrevista que pode ser escutado aqui.

Jornalista Onda Viva

Anterior

Póvoa e V.Conde em risco extremo e com números alarmantes

Próximo

Idoso constituído arguido por posse ilegal de caçadeira

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *