102 casos positivos em instituição vila-condense

Já há um balanço final feito aos testes de despistagem, à presença da doença COVID 19, realizados às pessoas ligadas, de várias formas, ao Centro de Apoio e Reabilitação de Pessoas com Deficiência, uma estrutura da Santa Casa de Vila do Conde localizada em Touguinha. Rui Maia, mesário da instituição, deu conta que foram testadas 143 pessoas, entre utentes e funcionários, e 102 deram positivo.“Dos 97 utentes que temos em regime de permanência, nove não estão contagiados”, adiantou Rui Maia que acrescentou que dos 27 testes que faltavam  a colaboradores de cozinha, limpeza e lavandaria, que não lidavam diretamente com os utentes apenas um deu positivo”.O dirigente da Misericórdia garantiu à Agência Lusa que que “não existe nenhum caso grave”, e que apenas dois utentes estão a receber, por precaução, oxigénio, vincando que os “planos de contingência que foram atempadamente preparados estão a funcionar”.”Todos os colaboradores, desde o pessoal médico, auxiliares e diretores, estão a fazer um esforço enorme para lidar com a situação e dar o maior cuidado e carinho aos nossos utentes. Ninguém se recusou a vir trabalhar e estamos muito felizes por serem inexcedíveis na sua dedicação”, assegurou Rui Maia.Nestes últimos dias, foi promovida uma desinfeção geral da instituição, reforçada a equipa médica, e estabelecidas áreas distintas de circulação de profissionais e de utentes, além de criadas zonas para descontaminação de profissionais de forma a garantir a segurança e saúde de todos.Já foi feita, também, a rotação das equipas de trabalho, regressando os colaboradores que estiveram 15 dias em casa para substituir os 49 que estavam ao serviço, e que pernoitavam na instituição.Na mesma linha foram também disponibilizados quartos numa unidade hoteleira de Vila do Conde, para os funcionários que quiserem, por precaução, estarem afastados das suas famílias terem um local para dormir.

Jornalista Onda Viva

Anterior

Varzim afasta ‘lay-off’ e consegue acordo

Próximo

Terço voou da Senhora da Saúde até ao Mapadi

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *